Vida Plena com Saude

Heterocromia: condição rara que causa um olho de cada cor geralmente é inofensiva | Vida Saudável


3 minutos para ler

Heterocromia é a condição em que a parte colorida de um olho (íris) é diferente da do outro. Por exemplo, um olho é azul e o outro é castanho. Geralmente é inofensiva e não precisa de tratamento. Em casos raros, pode ser observada com outros distúrbios. Apesar de incomum em humanos, é comum em algumas raças de cachorro, gato e cavalo.  

O que é íris?

A íris é responsável pela cor dos olhos. Ela é a extensão anterior do cristalino e tem uma abertura central redonda, a pupila. Sua função é controlar a quantidade de luz que entra através da pupila. Variações nos genes de cada indivíduo, além da quantidade e da qualidade de melanina na íris, determinam a cor dos olhos.

Os olhos de cor mais clara têm maior quantidade de feomelanina, um pigmento que varia do amarelo ao vermelho, enquanto nos olhos mais escuros há maior predomínio da eumelanina, pigmento que varia do preto ao marrom. 

Além disso, a cor da íris muda em alguns bebês durante o primeiro ano de vida e em outros permanece a mesma. No entanto, ao longo da vida, a cor não sofre mais alterações. 

Quem tem heterocromia enxerga bem?

A heterocromia não provoca nenhuma alteração na qualidade da visão. 

Tipos de heterocromia

Existem basicamente três tipos:  

  • Completa: quando uma íris é de uma cor e a íris do outro olho é de outra cor;  
  • Parcial: quando parte de uma íris é de uma cor diferente do resto;  
  • Central: quando há um anel interno que é de cor diferente da área externa da íris. 

O que causa o aparecimento da heterocromia?

A heterocromia de íris pode ser congênita (característica adquirida pelo bebê durante a gestação), ou adquirida por uma doença ou lesão, como lesão ocular, sangramento no olho e síndrome de Horner adquirida. 

Cuidados

Quando uma criança apresenta heterocromia, ela deve ser examinada por um oftalmologista. Na maioria dos casos, não haverá nenhuma doença ou condição preocupante causando a variação da cor dos olhos. Porém, se adultos perceberem mudança na cor dos olhos, é importante procurar um oftalmologista. Ele identificará se há uma causa que exija tratamento. 


Revisão Técnica: Luiz Antônio Vasconcelos, especialista em Clínica Médica, Medicina Interna, Cardiologia e Ecocardiografia. Cardiologista e clínico das unidades de pronto atendimento e do corpo clínico do Hospital Israelita Albert Einstein. 



Font

Comentários estão fechados.